Desabafo Literário: Lucro ou amor a arte



   Há quem acredite que escrever um livro seja fácil, bastando ter apenas criatividade e tempo. Não, você precisa ter amor e na grande maioria das vezes desembolsar uma pequena fortuna para que seu sonho torne realidade.

   Nesse novo "capítulo" da série 'Desabafo Literário', convidamos nossa parceira Catia Mourão, autora da série 'Mais Além da Escuridão' a dar seu parecer quanto as atuais dificuldades encontradas no ramos da literatura nacional, sua vivência à conhecimento do assunto. Você pode conferir nas próximas linhas o quanto é árduo o trabalho de um autor, desde o início da criação da obra até a publicação da mesma e o reconhecimento das editoras.   


"Pensei muito quando me pediram para escrever essa matéria, porque como leitora, sei o quanto está saturado o tema sobre as dificuldades de se publicar no Brasil e a metodologia comercial das grandes editoras, que tendem sempre ao lucro imediato. Mas aceitei o convite porque acho importante que os leitores tenham o ponto de vista dos autores. Não apenas sobre essa questão, mas em muitas outras que envolvem a publicação de uma obra.


Ultimamente tenho visto muita gente nas redes sociais dizendo que livros deveriam ser gratuitos e que cultura é um bem do povo, e por isso não deveriam ter que pagar para ter acesso a ela.

A cultura é sim um bem do povo e seria incrível viver num mundo onde todos tivessem acesso à cultura sem que para isso necessitassem desembolsar quantias significativas e por vezes exorbitantes, mas infelizmente esse mundo maravilhoso está muito longe da nossa realidade.

A maioria dos autores brasileiros (quase todos, exceto alguns poucos afortunados que tiveram a graça de ver suas obras alcançarem o status de best Seller), trabalham durante meses ou até anos na criação de um livro, e durante todo o processo, que envolve construção de personagem, elaboração de tema, muito trabalho de pesquisa e desenvolvimento da trama, não recebem nada. Exatamente! Nada. 

Você trabalha alimentado pelo amor à arte, tendo como único estímulo, o sonho de que um dia os leitores se apaixonarão ao ler sua obra, farão elogios ao seu trabalho e despertarão a atenção de alguma editora, que enfim oferecerá um contrato de publicação, no qual o então autor sonhador e abnegado receberá míseros 10% sobre o valor dos exemplares vendidos. Isso depois é claro, dele ter arcado com os custos da primeira tiragem para que a obra chegue até os leitores e ainda os custos de divulgação para que a mesma se torne conhecida.

Aí alguns alegam: Mas atualmente existem editoras virtuais que oferecem a opção de publicar por demanda. Os autores não precisam mais arcar com as despesas de uma auto publicação tradicional.

Eu sei! Eu mesma sou autora independente e pela minha experiência, vou explicar para vocês o que significa fazer uma auto publicação por demanda. 

O autor deverá assumir as despesas de revisão da obra, diagramação, criação de capa, registros no escritório de direitos autorais e ISBN, catalogação, tradução (se quiser levar sua obra para o mercado estrangeiro) etc., etc., etc....

No final, para que um livro chegue prontinho no site das editoras virtuais e nas mãos dos leitores, gastasse no mínimo R$4.000,00 ou R$5.000,00. Sem contar as conversões para os famosos eBooks e ePubs, que também são pagas e requerem novos registros, para depois serem pirateadas sem escrúpulos por aqueles que se dizem defensores da cultura gratuita para todos. Só mesmo por muito amor a literatura!

Diante disso, muitos excelentes autores acabam desestimulados e abandonam o que poderia ser uma carreira promissora.

Mas existe uma luz no fim do túnel e ela vem de vocês.

Isso mesmo! Você leitor assíduo, que entende e compartilha dos anseios de seus autores preferidos. Vocês leitores que gostariam de ver os preços das obras nacionais mais condizentes com a realidade do nosso povo. São vocês que têm nas mãos as ferramentas necessárias para mudar a realidade do mercado editorial brasileiro.
Quando compram um livro nacional e comentam positivamente com seus amigos, estão ajudando a divulgar nosso trabalho. Quando fazem campanhas nas redes sociais pela valorização dos autores nacionais e quando se posicionam contra a pirataria e pela redução de preços nas mega stores.

Apenas os leitores, podem conscientizar governos e editoras a estimular e valorizar os autores brasileiros.

Para quem ainda tem dúvida: Temos sim, grandes escritores e obras de excelente qualidade. O que falta é visibilidade na mídia e bons investimentos em divulgação.

Todo mundo está cansado de ouvir que as grandes editoras só se interessam em comercializar best seller estrangeiro, porque o lucro é certo e elas pouco precisam investir em divulgação. Mas é preciso dizer não. Cobrar das editoras e do governo que façam investimentos nas obras nacionais.

Ao invés de importar literatura estrangeira, vamos mostrar ao mundo que aqui também se produz obras de qualidade internacional e muitas vezes, até melhores."

Por: Catia Mourão 
Autora da série Mais Além da Escuridão

     Nosso país também tem qualidade, somos ricos em cultura, apesar da pouca expressão que isso pode causar em muitas pessoas, estamos repletos de excelentes autores. Temos que valorizar e divulgar esse trabalho maravilhoso para que ele não fique acumulando poeira em uma estante no fundo da livraria...nossos autores merecem destaque!

     Essa mania do brasileiro valorizar o que vem de fora e ridicularizar o fruto de sua própria nação, esse comportamento é inaceitável e ultimamente vem sendo reprimido. ACORDA BRASIL, o que é nosso tem tanto valor, eu diria até mais, do que os internacionais, pois assim como eu e você, ele foi gerado aqui e temos que ter orgulho desse fato!

Projeto


Nenhum comentário:

Postar um comentário